Implante capilar

A calvície é um problema que tira o sono de muitos homens. Principalmente daqueles que já tentaram o uso de medicamentos, terapias de reposição hormonal ou suplementos sem sucesso. Mas não é preciso perder as esperanças. O implante capilar é a solução para muitos casos de calvície.

Esse método é a única solução definitiva para casos de calvície androgenética, que é hereditária.

O procedimento cirúrgico realoca folículos capilares sem predisposição para calvície para a região calva. Ou seja, fios naturais são removidos de uma área que ano é calva e são realocados na região em que o cabelo está escasso.

A escolha da região doadora é feita cautelosamente. Mas , em geral, os folículos são retirados da nuca ou das laterais da cabeça, onde os fios tendem a ser mais fortes e saudáveis.

Para a retirada, há diferentes métodos, que você vai conhecer a seguir!

 

Técnica FUT (transplante de unidades foliculares)

Com essa técnica, o implante capilar é realizado através de faixas de cabelo.

Uma faixa de cabelo é removida da região doadora (normalmente de atrás da nuca, na região acima da orelha), colocada em microscópio de alta potência e dividida em unidades foliculares com menos de 1 mm de espessura.

Essas unidades foliculares são chamadas slivers e são segregadas em unidades de folículos, podendo ser de um a seis folículos.

Essas unidades são transplantadas na região calva (área receptora), para permitir que novos fios de cabelo nasçam acima da cicatriz.

Os pontos do procedimento são retirados após sete dias e, no local, fica uma cicatriz linear. A espessura desta marca vai depender da largura da faixa retirada, da elasticidade do couro cabeludo e da qualidade de cicatrização de cada paciente.

É indicada para tratar áreas maiores e para qualquer comprimento do cabelo, mas pessoas com corte curtinho podem se sentir incomodadas com a cicatriz que fica na região.

Para a realização do procedimento não é necessário raspar os cabelos.

Técnica FUE (extração de unidade folicular)

Diferente da técnica anterior, que retira faixas de cabelo, o FUE coleta fio por fio, de forma manual ou robotizada. Utilizando um cilindro de metal (Micro Punch), os fios são retirados em unidade folicular (1 fio) ou famílias foliculares (2 a 3 fios).

O implante na região calva também é realizado fio por fio, por isso a técnica é indicada para pequenas regiões sem cabelo. E tende a demorar mais que a técnica FUT.

A grande vantagem é que, como os orifícios provocados pela retirada dos fios são pequenos, as cicatrizes são diminutas e quase imperceptíveis.  

Para a realização do procedimento é necessário raspar a região que passará pela cirurgia.

Técnica Mista

Alguns casos podem exigir que a utilização das duas técnicas em conjunto. Dessa forma, o cirurgião consegue retirar e implantar mais unidades foliculares em uma única cirurgia.

FUT ou FUE: qual a melhor técnica para implante capilar?

Não existe uma resposta exata para essa pergunta. As duas abordagens são extremamente eficientes para suas finalidades e garantem resultados bem satisfatórios.

A melhor técnica é aquela indicada pelo cirurgião após uma criteriosa avaliação de cada caso.

O implante capilar é indicado para pessoas que sofram com calvície genética e desejam ter novamente cabelos naquela região. Entretanto, antes é necessário passar por uma avaliação médica para analisar o estágio no qual a calvície se encontra.

 

Gostou desse conteúdo? Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro de mais dicas sobre implante capilar. Estamos no Facebook e Instagram.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário